Marta Relvas

Marta Relvas

O professor deve estimular a dúvida e a curiosidade dos alunos

Para uma aprendizagem significativa, a aula tem de ser prazerosa, bem-humorada, elaborada e organizada por meio de metodologias inovadoras a fim de ativar os impulsos neuroquímicos e neuroelétricos no cérebro do estudante. As práticas pedagógicas precisam ser repensados, a fim de valorizar a aprendizagem sináptica, mas também emocional, social e cultural.

Leia Mais »
Marta Relvas

O aprendiz atual é o Sujeito Cerebral que necessita de desafios

O tal novo normal e o ensino hibrido não mudou em nada o que já vinha acontecendo na Educação. Para garantir a aprendizagem, as aulas devem ser emolduradas pela emoção e estimular a cognição, pois o cérebro se tornou mais que um órgão, ele é um ator social e emocional. O estudante que argumenta, questiona e que tem autonomia é o que aprende.

Leia Mais »
Marta Relvas

O ensino híbrido e a Neurociência em uma aprendizagem combinada

Educadores, famílias, precisam analisar quais os verdadeiros impactos neurobiológicos da aprendizagem sobre o ensino híbrido quando massificado à beira da banalização. É importante reconhecer os estados emocionais de ansiedade provocados, em contrapartida com o estímulo do pensamento crítico e do protagonismo efetivo do estudante.

Leia Mais »
Marta Relvas

O que ajuda a potencializar o cérebro ainda no útero?

O feto produz mais células neuronais do que as que ele necessitará quando nascer. A maturação do cérebro é considerável antes do nascimento com a produção de mais de 86 bilhões de células nervosas e ao longo dos dois primeiros anos de vida, com o crescimento contínuo do volume do cérebro, constitui um período de grande vulnerabilidade.

Leia Mais »